PARCEIROS

Nesta seção, você encontrará todos os nossos parceiros que, a cada dia, ajudam-nos a continuar com o nosso projeto, incentivando-nos e apoiando-nos sempre que podem! Sem eles, seríamos menos do que somos hoje.

CONHEÇA OS NOSSOS PARCEIROS:   

RESENHA #192: A MENINA PERFEITA

Heide, a menina dos Alpes, de Johanna Spyri, foi cedido em parceria pela editora Autêntica para essa resenha.

RESENHA #191: O GRANDE DEFUNTO AUTOR

Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, foi cedido em parceria pela editora Autêntica para essa resenha.

RESENHA #190: POR QUE UM PAPAGAIO?

A ilha do Tesouro, de Robert Louis Stevenson, foi cedido em parceria pela editora Autêntica para essa resenha.

RESENHA #189: DISFARCES SOCIAIS

A resenha de M ou N? foi feita em parceria com a editora Harper Collins para o projeto Lendo Agatha Christie.

RESENHA #188: PERDE-SE NO SERTÃO

A resenha de O Quinze, de Rachel de Queiroz, foi feita através da parceria com a editora José Olympio para o Lendo Literatura Clássica.

RESENHA #187: ACABOU-SE A RAZÃO

A resenha de Os sofrimentos do jovem Werther, de Johann W. Goethe, foi feita através da parceria com a editora Penguin.

RESENHA #186: A SUPERSTIÇÃO

A resenha de É fácil matar foi feita em parceria com a editora Harper Collins para o projeto Lendo Agatha Christie.

RESENHA #185: AS MÃES DA RÚSSIA

A resenha do livro Doutor Jivago, de Boris Pasternak, foi realizada em parceria da editora Companha das Letras.

RESENHA #184: EDUCAÇÃO E MATERNIDADE

A resenha de Um Gato entre os Pombos foi feita em parceria com a editora Harper Collins para o projeto Lendo Agatha Christie.

RESENHA #183: O EXTREMO DA CULTURA

A resenha de Fahrenheit 451, de Ray Bradbury, foi feita após a leitura no Lendo Literatura Clássica em parceria com a Biblioteca Azul.

RESENHA #180: MEMÓRIA DE ELEFANTE

A resenha de Elefantes nunca esquecem foi feita em parceria com a editora Harper Collins para o projeto Lendo Agatha Christie.

RESENHA #179: O QUE É “HUMANIDADE”?

Frederick Douglass: autobiografia de um escravo, de Frederick Douglass, foi cedido pela Autêntica para essa resenha.